Jesus Espera-nos no Céu

Segundo o Evangelho de São Lucas, o último gesto de Jesus Cristo na terra foi uma benção. Os onze Discípulos tinham partido da Galiléia e ido ao monte que Jesus lhes indicara, o Monte das Oliveiras, perto de Jerusalém. Os Discípulos ao verem novamente aquele que havia ressuscitado, adoram-no, prostraram-se diante Dele como seu Mestre e seu Deus. Agora estão profundamente mais conscientes daquilo que já há muito tempo antes tinham no coração e haviam confessado: que o seu Mestre era o Messias.

Jesus confirma a fé dos que o adoram e ensina-lhes que o poder que não receber deriva do próprio poder divino. A faculdade de perdoar os pecados, a de renascer para uma vida nova, mediante o Batismo, são os próprios poderes de Cristo que se prolongam na Igreja. Esta é a Missão da Igreja: Continuar para sempre a obra de Cristo, ensinar os homens as verdades sobre Deus e as exigências que essas verdades trazem consigo, ajudá-los com a graça dos sacramentos.

Jesus disse: "O Espírito Santo descerá sobre vós e sereis minhas testemunhas em Jerusalém, em toda a Judéia e Samaria e até os confins do Mundo".Não que o Espírito Santo não estivesse presente na humanidade, ele estava presente na criação, em Moisés, nos Profetas, nos Reis, no próprio Jesus. O envio do Espírito Santo seria uma continuação da ação de Jesus, pois Jesus orientava a humanidade e depois vem o Espírito Santo para ensinar, recordar, convencer a humanidade.

Depois que Jesus elevou-se da Terra à vista deles e uma nuvem o escondeu, Jesus foi-se elevando pouco a pouco. Os Apóstolos permaneceram um longo tempo olhando para Jesus que ascendia ao Céu, com toda magestade, enquanto ele lhes dava a última benção. Era uma nuvem que acompanhava a manifestação de Deus. Era sinal de que Jesus tinha entrado nos Céus.

A vida de Jesus aqui na terra não termina com a sua morte na cruz, mas com a ascensão aos céus. É o último mistério da vida de Jesus aqui na terra. É um mistério redentor que constitui com a Paixão, Morte e Ressurreição, o mistério Pascal. Convinha que aqueles que viram Jesus morrer na cruz vissem sua ascensão, isto preencheu o coração deles de alegria. Com Cristo conseguimos uma graça que havíamos perdido, a graça de morar no Céu.

A ascensão fortalece e estimula a nossa esperança de alcançarmos o Céu, nos estimula a procurarmos as coisas do alto, nos estimula a rezar, comungar a Eucaristia, confessar-se bem, ler leituras espirituais, a ver bons programas de televisão, a ouvir boas músicas, a perdoar, a fazer tudo isso porque quero alcançar o Céu.

Cristo nos espera no Céu e por isso devemos viver aqui na terra como cidadãos do Céu, sendo plenamente cidadãos da terra, no meio das dificuldades, injustiças, incompreensão, mas também no meio de alegrias, queremos ir para o Céu.

Existem pessoas que nesse mundo que fazem à opção de não viver como cidadãos do Céu, então como poderão alcançar o Céu? Tem pessoas que vivem enchendo seu coração de sujeiras, como certos programas de televisão, músicas, pornografias, adultério, bebidas, drogas, como querem ainda ir para o Céu?

Renunciamos várias coisas para irmos para o Céu ou colocamos em risco nossa salvação e poderemos ir até para o Inferno. É claro que entendo que algumas pessoas tenham dificuldade com pornografia, compulsão sexual, dependência química de drogas e álcool, gula, adultério, mas é necessário ir em busca de ajuda para sair dessas situações que por vezes parece ser o inferno aqui na Terra, para ir para o Céu que já experimentamos aqui na Terra.

Na realidade por vezes não é fácil experimentarmos a ausência física de Jesus. Gostaríamos de voltar a vê-lo de perto, quando se senta a beira do poço, cansado da dura caminhada, quando chora por Lázaro, quando se recolhe para a oração, quando se compadece da multidão.

Jesus parte, mas permanece muito perto de cada um, de modo especial o encontramos no Sacrário. Não deixemos de procurá-lo com freqüência para que ele nos ajude em nossa caminhada.