O Espírito Santo e Maria

 

 

 

Tudo o que se tem levado a cabo na Igreja desde o seu nascimento até os nossos dias é obra do Espírito Santo: a evangelização do mundo, as conversões, a fortaleza dos mártires, a santidade dos seus membros... “ O que a alma é para o corpo do homem – ensina Santo Agostinho - , isso é o Espírito Santo no Corpo de Cristo que é a Igreja. O Espírito Santo realiza na Igreja o que a alma realiza nos membros de um corpo: da – lhe vida, desenvolve – o, é o seu principio de unidade... Por Ele vivemos a vida do próprio Cristo Nosso Senhor, em união com Santa Maria, com todos os anjos e santos do Céu, com os que se preparam no purgatório e os que ainda peregrinam na terra.
 O Espírito Santo é também o santificador da nossa alma. Todas as inspirações e desejos que nos animam a serem melhores, todas as nossas boas obras, bem como as ajudas necessárias para terminá-las..., é obra do Paráclito.
A sua vinda é precedida pelos raios brilhantes da sua luz e da sua ciência. Vem com a verdade do genuíno protetor, pois vem salvar, curar, ensinar, aconselhar, fortalecer, consolar, iluminar, em primeiro lugar a mente daquele que o recebe e depois, pelas obras deste a mente dos outros.
E assim como aquele que se achava rodeado de trevas, em saindo ao sol recebe a sua luz nos olhos corporais e contempla claramente o que antes não via, assim também aquele que é achado digno do dom Espírito Santo fica com a alma iluminada e, elevando-se acima da razão natural, vê aquilo que antes ignorava.
O Espírito Santo não cessa de atuar na Igreja, fazendo surgir por toda parte novos desejos de santidade, novos filhos e, ao mesmo tempo melhores filhos de Deus, que tem em Jesus Cristo o modelo perfeito, pois ele é o primogênito de muitos irmãos. E nossa Senhora, pela sua colaboração ativa com o Espírito Santo nas almas, exerce a sua maternidade sobre todos os seus filhos. Por isso é proclamada Mãe da Igreja, “quer dizer, Mãe de todo o Povo de Deus, tanto dos fiéis como dos Pastores, que a chamam Mãe amorosa. Queremos – proclamava Paulo VI – que de agora em diante seja honrada e invocada por todo povo cristão com esse título gratíssimo.
Santa Maria, Mãe da Igreja, rogai por nós e ajudai – nos a preparar a vinda do Paráclito às nossas almas.