O que acontece nos pacientes com cirrose que conseguem a cura da hepatite C?

Acaba de ser publicado na revista Hepatology um estudo realizado com pacientes com cirroses que conseguiram curar a hepatite C, os quais foram acompanhados durante 12 anos para observar se a cura da doença oferecia algum beneficio.
O estudo realizado na Itália teve a participação de 218 pacientes infectados com hepatite C e em estagio de cirrose diagnosticada entre os anos de 1989 e 1992. Todos eles apresentavam na ocasião do diagnostico cirrose compensada, sendo comprovado por endoscopia que não existiam varizes no esôfago. O objetivo do estudo era estudar se o tratamento da hepatite C oferecia algum beneficio futuro na progressão do quadro de cirrose.
Conforme normas de consenso internacionais, a cada três anos foram realizadas endoscopias em todos os pacientes para verificar possíveis varizes no esôfago.
Um total de 149 (68%) dos 218 pacientes do estudo recebeu tratamento antiviral, sendo que 34 (22,8%) deles conseguiram a cura da hepatite C. Comparando esses pacientes nos 12 anos seguintes com o grupo de 69 pacientes que não recebeu tratamento, foi observado que 22 (31,8%) dos pacientes sem tratamento desenvolveram varizes no esôfago, que 45 (39,1%) dos pacientes tratados, mas que não conseguiram a cura também desenvolveu varizes no esôfago, mas o resultado assombroso e que nenhum dos 34 pacientes curados da hepatite C desenvolveu varizes no esôfago nos 12 anos seguintes.
Concluem os autores que o tratamento da hepatite C em pacientes com cirrose compensada deve ser realizado, pois os que conseguem a cura ficam praticamente livres da progressão da doença, não desenvolvendo varizes no esôfago.

MEU COMENTÁRIO:
Fico feliz de observar que a cura da hepatite C é definitiva e que com ela se evitam os problemas futuros que possam afetar a saúde dos infectados.

Fonte: Carlos Varaldo - Grupo Otimismo